Mais de 5.000 já recebem nossos e-mails! Receba Também.

5 dicas para uma esterilização eficiente

0

esterilização eficienteA esterilização eficiente dos instrumentos odontológicos deve ser feita logo depois de cada consulta. Já foi provado que itens que ficam na bandeja do dentista – para cirurgia ou outro tratamento qualquer – podem ser contaminados por micróbios mesmo que nem tenham sido usados!

Assim, gripe, pneumonia, herpes, hepatite, HIV e outras doenças podem passar da boca de um paciente para a de outro! Já pensou?! Então, para ter uma esterilização eficiente, tarefa de responsabilidade do Auxiliar de Saúde Bucal (ASB), é importante seguir algumas dicas:

Limpeza

A limpeza rigorosa dos materiais odontológicos é indispensável para uma esterilização eficiente. A presença de óleos, gorduras, sangue, pus e outras secreções protege os micro-organismos contaminantes do esterilizante.

Por isso, antes de tudo, com as mãos sempre limpas, é preciso lavar todos os itens com soluções desencrostantes e fazer o enxágue abundante em água potável e corrente. Uma dica é observar a natureza dos artigos e o grau de sujeira, evitando misturá-los.

Seleção da embalagem

Os utensílios devem estar limpos, secos e separados antes de serem embalados; os que tiverem defeitos precisam ser substituídos, viu?!

Os invólucros devem permitir o contato dos artigos com o esterilizante, bem como mantê-los livres de micróbios durante a estocagem.

As características que devem orientar a seleção de uma embalagem para uma esterilização eficiente são: impermeabilidade a partículas microscópicas, resistência à ruptura e flexibilidade.

Montagem dos pacotes 

Os materiais devem ser preparados, montados e embalados conforme o tipo de invólucro e o processo de esterilização indicado. Na confecção das embalagens, é preciso tomar alguns cuidados.

Para uma esterilização eficiente, é importante não misturar instrumentos metálicos, bandejas, bacias e artigos de borracha com roupas. Também é recomendado desmontar seringas e empacotar luvas com uma gaze dentro do punho. Pinças, tesouras e outros instrumentais de hastes duplas precisam ficar abertos com ganchos especiais.

A montagem dos pacotes também deve incluir a identificação na parte externa.

Como fazer a esterilização?

O método físico mais usado e indicado para uma esterilização eficiente na odontologia é o calor úmido, por meio de autoclave. Métodos químicos de­vem ser utilizados apenas quando os físicos não puderem ser realizados.

Estocagem

Depois da esterilização, a estocagem dos pacotes precisa ser feita em condições ambientais adequadas. Os pacotes esterilizados devem ter a data de vencimento da esterilização; os de vencimentos mais próximos devem sair primeiro do estoque.

É recomendado que o ASB, todos os dias, avalie as condições de estocagem e faça o reprocessamento dos pacotes que estiverem vencidos.

A esterilização é uma das atividades mais presentes no dia a dia de um consultório. Mas você conhece todos os instrumentos odontológicos que devem ser higienizados? Faça o teste!