Mais de 5.000 já recebem nossos e-mails! Receba Também.

Cirurgia bucomaxilofacial. Quem precisa?

0

orientações depois da cirurgia odontológicaA procura por cirurgia bucomaxilofacial tem crescido no Brasil, como um tratamento eficaz para corrigir a arcada dentária. Em 2010, o Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial apontou que 60% da população do país necessitava de tratamento ortodôntico, sendo que 5% teria seus problemas resolvidos somente com esse tipo de cirurgia.

São muitos os casos em que o tratamento deve ser indicado. Entretanto, problemas moderados em pessoas ainda em fase de crescimento tendem a ter mais êxito com o uso de aparelhos.

Além disso, é possível que a melhor escolha seja aliar o uso de aparelho com a realização da cirurgia bucomaxilofacial, que atua na correção tanto dos dentes quanto dos ossos da face. Entre elas há os procedimentos voltados a traumas, cirurgia oral menor, implantodontia, ATM, cirurgias pré-protéticas e as ortognáticas.

Mas quem precisa do procedimento?

Contar com um queixo muito proeminente, ou queixo curto; ter apneia, enxaqueca ou dores na articulação mandibular podem apontar disfunções que podem ser corrigidas com a cirurgia bucomaxilofacial. Além da melhora estética, a saúde em geral será beneficiada com os tratamentos apontados e realizados pelos cirurgiões-dentistas e sua equipe.

Cirurgia ortognática é um dos procedimentos do grupo bucomaxilofacial

Como destacamos, a cirurgia ortognática é somente um dos procedimentos que pode ser tratado pelo profissional bucomaxilofacial. Esta cirurgia bucomaxilofacial é realizada para correções de deformidades dento-faciais, sendo o micrognatismo e o prognatismo.

O micrognatismo é mais conhecido como a deformidade de classe II, que é quando a pessoa apresenta o queixo curto. A mandíbula, que é a parte inferior, é menor em relação a maxila. Nestes casos, o ronco noturno pode ser comum.

Já o prognatismo, deformidade de classe III, é quando o queixo apresenta-se mais projetado a frente, proeminente. Em ambos os casos, a função mastigatória pode ser alterada, acarretando outros problemas de saúde, como os estomacais, por exemplo.

Após uma série de exames, auxiliados pelo uso de tecnologias e programas de computador, a cirurgia ortognática é realizada em centro cirúrgico e sob efeito de anestesia geral. A recuperação dos pacientes pode variar entre 4 a 8 semanas.

Traumatologia envolve a cirurgia bucomaxilofacial

Casos de trauma na face também podem requerer a cirurgia bucomaxilofacial. Geralmente os mais graves estão ligados a acidentes de trânsito, mas os traumas na face também podem ser provenientes da prática de esportes, por exemplo.

Para esses casos, em que há fraturas nos ossos da face, os cirurgiões-dentistas utilizam durante a cirurgia bucomaxilofacial fixações internas com o uso de parafusos e placas de titânio.

Como verificamos, são diversos os procedimentos do grupo bucomaxilofacial, portanto suas indicações são variadas. Mas em casos de alterações visíveis, como dores e problemas com a articulação facial, um profissional da odontologia deve ser procurado. Saiba mais em nosso blog.