Mais de 5.000 já recebem nossos e-mails! Receba Também.

3 dicas para cobrar dos pacientes o pagamento pelo instrumentador em procedimentos odontológicos

0

Curso ASB 3 dicas para cobrar dos pacientes o pagamento pelo instrumentador em procedimentos odontológicos

Geralmente, o cirurgião dentista sabe da importância de um instrumentador cirúrgico durante os procedimentos odontológicos. Este profissional facilita a atuação do cirurgião. E dependendo de sua organização, a cirurgia poderá demorar mais ou menos tempo.

Na prática, os profissionais cirurgiões não atuam mais sem o auxílio do instrumentador. O cirurgião chega somente para os procedimentos odontológicos. Mas antes disso, o profissional da instrumentação já preparou todo o campo cirúrgico.

A mesa com os instrumentos, os uniformes da equipe, a higienização e a biossegurança do local. Está tudo pronto. Além disso, o atendimento inicial do paciente, com a verificação dos procedimentos pré-operatórios é de responsabilidade do instrumentador cirúrgico em odontologia.

Uma boa conversa antes dos procedimentos odontológicos

Todas estas informações sobre o trabalho do instrumentador são de conhecimento dos profissionais da saúde e também daquelas pessoas que já tiveram que passar por alguma intervenção. Mas será que o paciente que procurou pelos procedimentos odontológicos conhece essa atuação dos profissionais envolvidos?

O desconhecimento das atividades pode ser um empecilho na hora de cobrar o valor de toda a equipe profissional envolvida. Por isso a dica é que nos primeiros atendimentos ao paciente, no pré-procedimento, haja uma boa conversa. Explique como irá funcionar a intervenção e o papel de cada profissional durante a cirurgia.

Valor total da equipe

Para facilitar para todos os integrantes da equipe, o cirurgião dentista deve repassar ao cliente o valor total dos procedimentos odontológicos cirúrgicos, já somado o valor dos profissionais envolvidos: cirurgião, anestesista, instrumentador e Auxiliar de Saúde Bucal (ASB), quando este também estiver envolvido.

Essa maneira facilita para todos os profissionais, já que não vão precisar ficar cobrando do paciente diversas vezes. E também para o paciente, que irá tratar sobre o pagamento somente com uma pessoa.

Além disso, este tipo de pagamento demonstra a responsabilidade e a confiança mútua dos profissionais. Trabalho em equipe do começo ao final.

Deixar claro a questão da “taxa do instrumentador”

No caso do cirurgião dentista não querer cobrar o valor total e preferir que o pagamento seja realizado diretamente para cada um dos profissionais, novamente vale aquela boa conversa anterior. Geralmente as reclamações dos pacientes se devem porque “ninguém avisou” sobre a taxa do instrumentador, e depois do procedimento é que o custo aparece.

Para evitar situações constrangedoras deve-se deixar claro aos pacientes as taxas que terão que ser pagas. Há ainda as situações em que o paciente, que conta com planos médicos e irão realizar os procedimentos em hospitais credenciados, avalia que os profissionais já estariam inclusos na conta.

Mas na maioria das vezes os hospitais não incluem instrumentador dos procedimentos odontológicos cirúrgicos em sua planilha de contas. Por isso, o valor deve ser pago a parte.

Questões de dinheiro requerem muito cuidado. A sinceridade e uma boa conversa, em que não fiquem dúvidas para nenhum dos lados, equipes odontológicas e pacientes, é essencial. Não basta o paciente saber tudo sobre o que o cirurgião dentista irá realizar durante a intervenção. Ele deve saber o que virá após o procedimento para não levar sustos ou ter alguma decepção com a equipe.

Já imaginou o procedimento ser realizado da melhor maneira possível e o paciente sair falando mal de sua equipe devido a uma taxa não explicada? Lembre-se que o marketing boca a boca pode levantar ou acabar com a reputação de uma empresa ou profissional.

Tem alguma dúvida sobre procedimentos odontológicos? Deixe o seu comentário e acesse o nosso blog para ficar por dentro das novidades da área.