Mais de 5.000 já recebem nossos e-mails! Receba Também.

Como sei que estou com cárie antes de ir ao dentista?

0

Como sei que estou com cárie?

A cárie é uma doença comum. Segundo uma pesquisa publicada no Journal of Dental Research, em 2017, cerca de 2,4 bilhões de pessoas no mundo sofrem com problema. Se a sua higienização bucal diária não é lá aquelas coisas, pode ser que você esteja precisando visitar o seu dentista. Agora, você deve estar se perguntando: “Mas tem como saber se estou com cárie antes de ir ao consultório?”.

A resposta você confere no post desta sexta-feira do blog.

“Como sei que estou com cárie antes de ir ao dentista?”

A dor no dente é um dos sintomas mais frequentes da doença, mas não é o único. Dentes escurecidos e sensibilidade a comidas quentes e frias também podem ser sinais de que você está com cárie. Para ter o diagnóstico certo, só indo ao dentista mesmo. Isso porque dor no dente também pode indicar outros tipos de enfermidades.

Além disso, a cárie, no estágio inicial, não costuma dar sinais como dor e buracos. Por isso, é tão importante fazer um check-up de seis em seis meses. Um raio-X na clínica pode detectar facilmente a doença.

“Descobri que estou com cárie. Qual é o tratamento?”

Segundo a Associação Brasileira de Odontologia (ABO), essa doença bucal é causada por ácidos produzidos pelas bactérias que vivem na nossa boca. E essa produção é acelerada quando consumimos açúcar demais!

O tratamento contra a cárie varia conforme a gravidade do caso. Se você visita regularmente o dentista e descobriu a doença logo no começo, fica bem mais fácil de resolver o problema. Um tratamento com flúor, por exemplo, pode evitar que as bactérias continuem atacando o seu dente.

A restauração também pode ser indicada. Nos casos mais graves, a recomendação é a de extrair parte ou todo o dente e, depois, inserir uma prótese no lugar.

“Estou com cárie. Mas nunca mais quero estar…”

Bons hábitos podem prevenir a cárie. Por isso:

– Escove os dentes depois de todas as refeições; use uma escova macia e pastas de dente que têm flúor. Deixe a preguiça de lado e não se esqueça de passar o fio dental, especialmente antes de dormir;

– Diminua o consumo de açúcar. A gente sabe que é difícil cortá-lo de vez. Tente substituí-lo por verduras, carnes, peixes, arroz e feijão – esses alimentos são outras fontes de flúor;

– Beba muita água. A água estimula a produção de saliva. Quando, na nossa boca, as bactérias começam a atacar os restos de alimentos , a saliva entra em ação para ajudar a recuperar as partes atacadas. Aí, a acidez bucal fica mais equilibrada;

– E, mais uma vez, consulte seu dentista a cada 6 meses.

No nosso blog, você pode conferir outras dicas sobre saúde bucal. Até a próxima!