Mais de 5.000 já recebem nossos e-mails! Receba Também.

A utilização de fluoretos ajuda na prevenção da cárie?

0

utilização de fluoretos

utilização de fluoretos

Falou-se em flúor, logo as pessoas lembram-se da prevenção da cárie. Flúor é como as pessoas se referem ao íon de flúor, utilizado amplamente pela odontologia para a prevenção da cárie dentária. Mas o nome correto do íon de flúor é fluoreto.

Essa popularização da utilização de fluoretos se deu após um longo processo de estudos do seu uso e benefícios para a odontologia. Como uma das políticas públicas mais importantes da área. A utilização da água fluoretada na maioria das redes de abastecimento do país.

Essa medida se deu após menção em 1952 no 10° Congresso Nacional de Higiene em Belo Horizonte, e discussão no 1° Conferência Nacional de Saúde Bucal em 1986. Com os debates e a recomendação de entidades ligadas à Odontologia, a fluoretação da água como pilar da prevenção da cárie foi aprovada junto à Política Nacional de Saúde Bucal em 1988.

Mas o processo de fluoretação de água teve início já em 1953 no Brasil. Com a cidade de Baixo Guandu no Espírito Santo a ter sua rede de abastecimento com íon flúor.

Utilização de fluoretos no mundo

A fluoretação da água da rede de abastecimento não é exclusividade do Brasil. Ela iniciou nos estados Unidos e no Canadá em 1945 após amplos estudos e também discussões sobre o tema. Na época havia uma corrente que apontava que essa era uma ‘estratégia’ do Governo para deixar a população doente, em um processo em massa.

Passada a polêmica, outros países adotaram a medida da utilização de fluoretos. A Organização Mundial da Saúde (OMS) apontou em um estudo publicado em 2003 que a fluoretação na rede de abastecimento era utilizado em 53 países atingindo cerca de 400 milhões de pessoas.

Apesar dessa ampla utilização, o Brasil apresenta o segundo maior sistema de fluoretação de água na rede de abastecimento público.

O flúor na prevenção da cárie

Somente esses dados da ampla utilização mundial já apontam a comprovação de que a utilização de fluoretos ajuda na prevenção da cárie. Estudos apontam diminuição de 60% da cárie com a água fluoretada.

Mas essa comprovação de que o flúor previne a doença bucal trouxe uma popularização de seu uso no meio odontológico. Uso do flúor em dentifrícios, enxaguantes bucais, em materiais odontológicos, além da aplicação tópica em consultórios dentários.

Isso trouxe a pauta outra discussão sobre o tema. A quantidade utilizada para a prevenção. Pois a utilização de fluoretos acima da adequada acarreta a fluorose. Doença bucal causada pelo excesso de exposição de flúor.

Como o flúor age na cavidade bucal

Mas por que a utilização de fluoretos é benéfica na prevenção da cárie? O íon flúor atua na reversão parcial da perda de minerais dos dentes. Essa perda de minerais acontece com a ação das bactérias presentes na cavidade bucal. Essas bactérias, em contato com açúcares fermentáveis, causam a desmineralização.

A desmineralização é um processo contínuo na cavidade bucal, que em níveis extremos causa a cárie dentária. Atuando na reversão parcial, o íon flúor não permite que a desmineralização avance, portanto, a utilização de fluoretos ajuda na sua prevenção.

Vale destacar a escovação com dentifrícios fluoretados. Mesmo uma escovação adequada pode deixar remanescentes de biofilme dentários. E o flúor permanece agindo após o processo da escovação. Assim auxilia diminuindo a exposição de açúcares fermentáveis no biofilme remanescente.

É correto dizer que a utilização de fluoretos previne a cárie, mas quando a doença já está instalada o íon não ajuda a reverter o processo.

Com esses dados é possível sim afirmar que a utilização de fluoretos ajuda na prevenção da cárie. Mas devem-se destacar os benefícios do uso racional do íon flúor. Já que o excesso causa outra doença, a fluorose. Saiba mais em nosso blog.

Auxiliar de Saúde Bucal